quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Como ajudar alguém durante uma crise emocional

Como ajudar alguém durante uma crise emocional
Distúrbios de saúde mental são comuns, no entanto, apenas uma pequena fração dessas pessoas recebem tratamento. Sem tratamento, distúrbios de saúde mental podem chegar a um ponto de crise.
Alguns exemplos de crises de saúde mental incluem depressão, traumas, transtornos alimentares, abuso de álcool ou substância, auto-mutilação e pensamentos suicidas. Se suspeitar que um amigo ou membro da família está a passar por uma crise emocional, a sua ajuda pode fazer a diferença.
Distinguir os Sinais
Um dos sinais mais comuns de crise emocional é uma mudança clara e abrupta no comportamento. Alguns exemplos incluem:
¤ Negligência de higiene pessoal.
¤Mudança dramática nos hábitos de sono, tal dormir com mais frequência ou não dormir bem
¤ O ganho ou perda de peso.
¤ Declínio no desempenho no trabalho ou na escola. 
¤.Mudanças acentuadas do humor, como irritabilidade, raiva, ansiedade ou tristeza.
¤ Perda de interesse em atividades e relacionamentos de rotina.
Às vezes, estas mudanças acontecem de repente e de forma óbvia. Eventos como um desastre natural ou a perda de um emprego podem levar a uma crise num curto período de tempo. Muitas vezes, porém, as mudanças de comportamento podem acontecer gradualmente. Se algo não parece estar bem, pense nas semanas ou meses passados ​​para considerar outros sinais de mudança.
Não espere para partilhar as suas preocupações. É sempre melhor intervir precocemente, pois rapidamente a angústia emocional se pode tornar uma situação de emergência. Se tem a sensação de que algo está errado, provavelmente está certo.

Emprestar uma orelha
Se suspeita que alguém está a passar por uma crise de saúde mental, a aproximação é o primeiro passo para fornecer a ajuda que ele ou ela precisa para ficar melhor. Sente-se a falar de uma forma solidária, sem julgamento. Pode iniciar a conversa com um convite ocasional: "Vamos falar um pouco... ultimamente não me parece estar bem... Passa-se alguma coisa em que eu possa ajudar...?"
Mantenha a calma, e tente ouvir mais do que falar. Mostre que pode ser confiável para emprestar uma orelha e dar apoio sem julgar. Ao discutir as suas preocupações, atente aos factos e procure não culpar ou criticar.

Procure ajuda profissional
Estender a mão pode ajudar o seu amigo ou membro da família a começar a obter algum apoio durante uma crise emocional. Mas a ajuda profissional é a melhor maneira de resolver completamente um problema de saúde mental e obter o problema sob controle. Pode explicar que os psicólogos têm formação especializada que faz deles especialistas na compreensão e tratamento de problemas emocionais e comportamentais complexas. Essa experiência é especialmente crítica quando um transtorno emocional atingiu níveis de crise.
Os psicólogos usam técnicas que vão além de falar e ouvir, cientificamente testadas. Podem ensinar ferramentas e habilidades para lidar com problemas, gestão de stress e trabalhar em direção a objetivos.
Para qualquer orientação mais específica pode enviar-me um email e partilhar o seu caso ou dúvidas: inesvinagre.psicologa@gmail.com

Preocupações sobre o suicídio ou auto-agressão ou ameaças de prejudicar os outros
Qualquer crise emocional é mais urgente quando envolve pensamentos e comportamentos suicidas ou ameaças de prejudicar alguém. Se suspeitar que um ente querido está a consider auto-dano ou suicídio, não espere para intervir.
É um tema difícil de abordar, mas discutir o suicídio não vai colocar a ideia na cabeça de ninguém. Na verdade, não é anormal para uma pessoa ter brevemente pensado em suicídio. Torna-se anormal quando alguém começa a ver o suicídio como a única solução para os seus problemas.
Se descobrir ou suspeitar que a pessoa está com pensamentos de auto-agressão, ou a contemplar o desenvolvimento de um plano, é verdadeiramente uma emergência. Se estiver preocupado com o estado de um ente querido mental ou segurança pessoal, e é incapaz de levá-la para ser vista com urgência contacte a linha de saúde, poderão fornecer-lhe orientação para lidar com uma situação de emergência.
Se está preocupado com um ente querido, não se afaste. Pode fazer a diferença ao ajudar o seu amigo ou membro da família na sua saúde mental.

Artigo adaptado da publicação de Jacqueline Gray, PhD, e Lynn Bufka, PhD, no site da Associação Americana de Psicologia: APA. 
Enviar um comentário