domingo, 28 de junho de 2015

A arte de "perder" tempo

Aproveitem as férias para desfrutar de espaços abertos, livres, sem regras nem horários...
Depois de um longo ano lectivo, cheio de trabalho, exigências e objectivos, há que planear o adequado descanso e corte com esta vivência agitada. Ainda que eu defenda que o devemos saber integrar idealmente no nosso dia a dia, ou pelo menos, semanalmente, nem sempre o conseguimos pôr em prática. No entanto, o nosso equilíbrio psicológico depende de uma boa distribuição da nossa energia e tempo a momentos regrados e momentos livres, soltos, em que tudo é possível e permitido. Rebolar na relva, sujar as mãos, "perder" tempo a olhar para nada, abraçar só porque sim, ser e estar, simplesmente.

Enviar um comentário