terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

É preciso acontecer...

Estamos a viver dos melhores tempos que existiram no que diz respeito à valorização do bem-estar das crianças desde a sua gestação. Reconhecemos os seus direitos e necessidades e temos toda uma parafernália de opções para os apoiarmos desde sempre... Mas tudo isto reflete, também, a nossa tremenda insegurança. Queremos garantir que nada lhes acontece, quando esse facto é já um grande risco. É preciso que lhes aconteçam coisas, que sintam coisas, que saibam lidar com o que os rodeia. É preciso explorar, questionar, absorver, arriscar, cair, levantar e aprender. A nós enquanto pais, também.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Conjugalidade e Parentalidade: Somos pais sempre e para sempre.

Começamos a nossa vida em casal a dois. Somos um mais um, que se unem nas suas individualidades, particularidades, preferências... Nem sempre é fácil, mas o amor ajuda a que tenhamos espaço e vontade de alojar o outro na nossa vida. Lentamente ou rapidamente (dependendo da circunstâncias e das escolhas), permitimos que nesta relação conjugal se encontrem as necessidades e caminhem lado a lado, rumo aos objetivos e aos sonhos.
Num dado momento do caminho achamos a vontade de sermos mais, de crescermos de darmos a mão e acolhermos na nossa existência a dois uma nova vida. Acho que muito poucos saberão do que realmente se trata (isto de sermos pais), até que nos acontece. Num momento incerto descobrimos que a matemática já não é feita de números certos, tudo se multiplica e sentimos necessidade de nos dividirmos em vários papéis. Somos Eu, Nós e para Ele(s)...

Por vezes, nesta nova arrumação da nossa vida fica difícil de encontrar um lugar para tudo o que queremos ser e fazer. Sermos pais muda a forma como nos vemos, como encaramos o trabalho, a profissão, o futuro... A parentalidade no casal é um desafio, como o terá sido a convivência na mesma casa, a conciliação das famílias, o planeamo do futuro, a gestão das tarefas... Por vezes, a conjugalidade não sobrevive ao teste do tempo e das dificuldades, mas a parentalidade permanece. Não deixamos de ser pais daquela(s) pequenas (ou grandes) pessoas, mesmo quando deixamos de ser casal. É por isso que considero que, mais do que procurarem formas de apoiar a criança/jovem no ajuste à separação ou divórcio dos pais, podem eles mesmos encontrar no aconselhamento parental, um suporte para que esta fase seja uma reorganização dos papéis e lugares, sem que se retire espaço a cada um.

O Aconselhamento Parental pode ter um papel fundamental em momentos em que os pais estão a ter dificuldade em comunicar ou focar-se na relação parental, nomeadamente quando estão a considerar ou a passar por uma separação ou divórcio. Centrados no bem-estar e educação da criança, procuramos auxiliar na resolução de divergências, encorajando uma abordagem cooperante e colaborativa na qual os pais são os principais protagonistas nas decisões familiares, e participam activamente no estabelecimento de acordos.

Consideramos que é possível fazer perdurar o sentido de família para além da separação do casal, e de que a ruptura conjugal não encerra a responsabilidade comum sobre os filhos, nem deverá trazer dificuldades ao relacionamento com ambos os progenitores. 

Não fique preso às dificuldades, procure ajuda.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

2019



Ficção de que começa alguma coisa!
Nada começa: tudo continua.
Na fluida e incerta essência misteriosa
Da vida, flui em sombra a água nua.
Curvas do rio escondem só o movimento.
O mesmo rio flui onde se vê.
Começar só começa em pensamento



Fernando Pessoa


Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir.
Álvaro de Campos
Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir.
Sentir tudo ele todas as maneiras.
Sentir tudo excessivamente
Porque todas as coisas são, em verdade excessivas
E toda a realidade é um excesso, uma violência,
Uma alucinação extraordinariamente nítida
Que vivemos todos em comum com a fúria das almas,
O centro para onde tendem as estranhas forças centrífugas
Que são as psiques humanas no seu acordo de sentidos.
Quanto mais eu sinta, quanto mais eu sinta como várias pessoas,
Quanto mais personalidades eu tiver,
Quanto mais intensamente, estridentemente as tiver,
Quanto mais simultaneamente sentir com todas elas,
Quanto mais unificadamente diverso, dispersadamente atento,
Estiver, sentir, viver, for,
Mais possuirei a existência total do universo,
Mais completo serei pelo espaço inteiro fora,
Mais análogo serei a Deus, seja ele quem for,
Porque, seja ele quem for, com certeza que é Tudo,
E fora d'EIe há só EIe, e Tudo para Ele é pouco.
Cada alma é uma escada para Deus,
Cada alma é um corredor-Universo para Deus,
Cada alma é um rio correndo por margens de Externo
Para Deus e em Deus com um sussurro soturno.
Sursum corda! Erguei as almas! Toda a Matéria é Espírito,
Porque Matéria e Espírito são apenas nomes confusos
Dados à grande sombra que ensopa o Exterior em sonho
E funde em Noite e Mistério o Universo Excessivo!
Sursum corda! Na noite acordo, o silêncio é grande.
As coisas, ele braços cruzados sobre o peito, reparam
Com uma tristeza nobre para os meus olhos abertos
Que as vê como vagos vultos nocturnos na noite negra.
Sursum corda! Acordo na noite e sinto-me diverso.
Todo o Mundo com a sua forma visível do costume,
Jaz no fundo dum poço e faz um ruído confuso.
Escuto-o. e no meu coração um grande pasmo soluça.
Sursum corda! Ó Terra, jardim suspenso, berço
Que embala a Alma dispersa da humanidade sucessiva!
Mãe verde e florida todos os anos recente,
Todos os anos vernal, estival, outonal, hiemal
Todos os anos celebrando às mancheias as festas de Adónis
Num rito anterior a todas as significações,
Num grande culto em tumulto pelas montanhas e os vales!
Grande coração pulsando no peito nu dos vulcões,
Grande voz acordando em cataratas e mares,
Grande bacante ébria do Movimento e da Mudança,
Em cio de vegetação e florescência rompendo
Teu próprio corpo de terra e rochas, teu corpo submisso
À tua própria vontade transtornadora e eterna!
Mãe carinhosa e unânime dos ventos, dos mares, dos prados,
Vertiginosa mãe dos vendavais e ciclones,
Mãe caprichosa que faz vegetar e secar.
Que perturba as próprias estações e confunde
Num beijo imaterial os sóis e as chuvas e os ventos!
Sursum corda! Reparo para ti e todo eu   sou um hino!
Tudo em mim como um satélite da tua dinâmica íntima
Volteia serpenteando ficando como um anel
Nevoento, de sensações reminiscidas e vagas,
Em torno ao teu vulto interno túrgido e fervoroso.
Ocupa de toda a tua força e de todo o teu poder quente
Meu coração a ti aberto!
Como uma espada trespassando meu ser erguido e extático,
Intersecciona com o meu sangue, com a minha pele e os meus nervos,
Teu movimento contínuo, contíguo a ti própria sempre.
Sou um monte confuso de forças cheias de infinito
Tendendo em todas as direcções para todos os lados do espaço,
A Vida, essa coisa enorme, é que prende tudo e tudo une
E faz com que todas as forças que raivam dentro de mim
Não passem de mim, não quebrem meu ser, não partam meu corpo,
Não me arremessem, como uma bomba de Espírito que estoira
Em sangue e carne e alma espiritualizados para entre as estrelas,
Para além dos sóis de outros sistemas e dos astros remotos.
Tudo o que há dentro de mim tende a voltar a ser tudo.
Tudo o que há dentro de mim tende a despejar-me no chão,
No vasto chão supremo que não está em cima nem em baixo
Mas sob as estrelas e os sóis, sob as almas e os corpos
Por uma oblíqua posse dos nossos sentidos intelectuais.
Sou uma chama ascendendo, mas ascendo para baixo e para cima,
Ascendo para todos os lados ao mesmo tempo, sou um globo
De chamas explosivas buscando Deus e queimando
A crosta dos meus sentidos, o muro da minha lógica,
A minha inteligência limitadora e gelada.
Sou uma grande máquina movida por grandes correias
De que só vejo a parte que pega nos meus tambores,
O resto vai para além dos astros, passa para além dos sóis,
E nunca parece chegar ao tambor donde parte...
Meu corpo é um centro dum volante estupendo e infinito
Em marcha sempre vertiginosamente em torno de si,
Cruzando-se em todas as direcções com outros volantes,
Que se entrepenetram e misturam, porque isto não é no espaço
Mas não sei onde espacial de uma outra maneira-Deus.
Dentro de mim estão presos e atados ao chão
Todos os movimentos que compõem o universo,
A fúria minuciosa e (...) dos átomos
A fúria de todas as chamas, a raiva de todos os ventos,
A espuma furiosa de todos os rios, que se precipitam,
E a chuva como pedras atiradas de catapultas
De enormes exércitos de anões escondidos no céu.
Sou um formidável dinamismo obrigado ao equilíbrio
De estar dentro do meu corpo, de não transbordar da minh'alma.
Ruge, estoira, vence, quebra, estrondeia. sacode,
Freme, treme, espuma, venta, viola, explode.
Perde-te, transcende-te, circunda-te, vive-te, rompe e foge,
Se com todo o meu corpo todo o universo e a vida,
Arde com todo o meu ser todos os lumes e luzes ,
Risca com toda a minha alma todos os relâmpagos e fogos
Sobrevive-me em minha vida em todas as direcções!
s.d.
Álvaro de Campos - Livro de Versos . Fernando Pessoa. (Edição crítica. Introdução, transcrição, organização e notas de Teresa Rita Lopes.) Lisboa: Estampa, 1993. 
 - 34.
1ª versão: Poesias de Álvaro de Campos. Fernando Pessoa. (Nota editorial e notas de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1944.

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Psicoterapia

As pessoas que chegam pela primeira vez à minha consulta, perguntam muito frequentemente qual a diferença entre psicologia e psicoterapia... Não é muito fácil explicar, mas vou tentar anotar aqui alguns pontos essenciais que espero que ajudem à compreensão desta questão.

Ainda que os actos profissionais específicos da Psicologia possam ser exercidos por qualquer psicólogo desde que observados os princípios do Código Deontológico, o título de Especialista, por exemplo em Psicologia Clínica, reconhece que o psicólogo possui a formação e experiência necessária para intervenção nesta área mais específica da Psicologia. 


As Especialidades correspondem a áreas amplas de exercício profissional e domínios de competência da Psicologia e ass Especialidades Avançadas correspondem a contextos mais específicos e especializados de actividade profissional. Assim sendo, há psicólogos que podem exercer actividade num ou duas áreas gerais da Psicologia (i.e. especialidades gerais) e podem ser simultaneamente considerados habilitados para trabalhar em domínios específicos (i.e. especialidades avançadas), mas não é possível a atribuição de uma especialidade avançada, sem que tenha sido atribuída uma especialidade geral. Para acesso ao título de especialista, o psicólogo tem de cumprir um conjunto de critérios que passam pela sua experiência profissional, pela formação e outros elementos que se consideram relevantes nas diferentes áreas, adquiridos no exercício da profissão.

O psicólogo especialista em psicologia clínica e da saúde é aquele a quem é reconhecida competência científica na aplicação dos conceitos, metodologias e técnicas na área clínica e da saúde, nomeadamente no diagnóstico, avaliação psicológica, intervenção, planeamento, monitorização, intervenção psicológica, avaliação da intervenção, conceptualização de caso e investigação dos seus clientes.

A Psicoterapia é uma das especialidades avançadas, podendo definir-se como um processo de desenvolvimento pessoal que tem como principal objectivo a transformação e desenvolvimento de recursos, novas formas de resolver conflitos e problemas, agir sobre o sofrimento psicológico, reduzindo-o e melhorar a qualidade de vida. Os psicoterapeutas são, na sua maioria, psicólogos clínicos mas também podem ser médicos, ainda que só um número reduzido escolha fazer formação ou exercer esta área de intervenção, normalmente após concluirem a especialidade em Psiquiatria. Os modelos ou escolas de psicoterapia são diversas estando as Sociedades e Associações de Psicoterapia que certificam a formação e supervisionam ao longo do processo de conclusão desta especialidade avançada, protocoladas com a Ordem dos Psicólogos Portugueses. A formação pós-graduada em psicoterapia está regulamentada e é genericamente equivalente em qualquer modelo, uma vez que cumpre com alguns requisitos (um mínimo de 400 horas de formação teórico/clínica; 150 horas de supervisão de casos de psicoterapia; 100 horas de terapia pessoal ou desenvolvimento pessoal). Este processo de especialização em psicoterapia é feita após o mestrado em psicologia ou medicina e dura cerca de quatro anos. São portanto, profissionais mais especializados.

Embora a investigação científica indique que nenhum modelo psicoterapêutico seja significativamente superior a outro, existem estudos clínicos que demonstram que alguns se revelam mais eficazes na intervenção em determinadas perturbações e diferentes características pessoais.

Espero que esta informação vos seja útil, mas caso tenham mais alguma dúvida, estou ao dispor!

(Fonte e mais informações em https://www.ordemdospsicologos.pt/pt/especialidades )